Reforma do gramado do Baenão chega à fase final

27/11/2013
Baenão

Iniciou nesta semana, a fase final da reforma do gramado do estádio Evandro Almeida, o Baenão. Após a implantação do novo sistema de drenagem e irrigação e também do nivelamento do terreno, a equipe que trabalha desde outubro nas reformas, começou a colocar os rolos do novo gramado. “É o verde voltando ao Baenão”, comemorou o presidente Zeca Pirão, que acompanha de perto as obras.

No total, serão instalados 9 mil m² de grama tipo Esmeralda (Zoysia Japônica). Esta espécie de grama é originária do Japão e atualmente é a grama mais comercializada no Brasil. A Esmeralda apresenta folhas em forma de lança, médias e estreitas de cor esmeralda, grande número de estolões (caules subterrâneos que sustentam e propagam a planta) e boa resistência a pisoteios. É ótima para campos de futebol.

De acordo com o engenheiro agrônomo Carlos Henrique Maneschy, responsável por esta etapa da reforma do Baenão, as principais vantagens que a Esmeralda apresenta são: baixa manutenção, facilidade de plantio, excelente para controle da erosão, boa tolerância a altas temperaturas, à seca e à salinidade. Devido a sua grande densidade, é responsável pela baixa incidência de ervas daninhas, formando um tapete verde escuro uniforme. O processo de colocação dos rolos deverá se encerrar até o final desta semana.

Maneschy destaca que a após a colocação do gramado, será necessário um período de 30 a 45 dias para o enraizamento adequado. “Com a grama toda colocada, necessitaremos da colaboração do tempo para que o enraizamento se dê o quanto antes. Acredito que dentro de 30 a 45 dias, no máximo, estaremos reinaugurando o gramado”, projetou o engenheiro agrônomo.

A próxima etapa das obras de reforma e modernização do Baenão será a instalação de placas de vidro blindex transparente semelhantes aos que utilizados na Vila Belmiro (Santos-SP). A expectativa, de acordo com Zeca Pirão, é de que o estádio possa receber jogos do Remo, pelo Campeonato Paraense de 2014, já a partir de janeiro. “Vamos erguer um tapume de 120 metros de comprimento e quatro metros de altura que vai isolar o setor de camarotes e cadeiras, que ainda está na fase de fundações, para que o Remo possa disputar seus jogos sem qualquer problema”, esclareceu o mandatário.

Pirão informou ontem que, a partir da próxima sexta-feira, o Baenão receberá pintura nova em todas as suas dependências. O clube acaba de firmar uma parceria com a fabricante de tintas Iquine. A negociação, que tem como objetivo o fortalecimento da marca pernambucana no mercado do Pará, consistiu em aplicar o nome da empresa no calção e camisa do time azulino.

Além das estampas no uniforme do Remo, a Iquine também fechou com o clube um contrato de pintura e manutenção do Baenão e das sedes social e náutica com duração de 3 anos. De acordo com a direção azulina, o valor total do contrato de patrocínio é de R$ 1,2 milhões.

Amazônia, 27/11/2013